21.8.13

Bad boys ou então não #2


O Paranoico

Como distingui-lo:
 
Este é o amor em estado de guerra. A sua máxima já está definida, e não é animadora: “As pessoas são más, e se baixarmos a guarda, magoam-nos.” Claro que a pérfida Humanidade inclui a família. Ser amado por um paranoico é como ser amado por uma esquadra inteira da polícia judiciária e passar a vida a prestar provas da sua inocência de um crime que não cometeu (mas que às vezes, ai às vezes...)
 
Porque nos deixamos enredar:

Porque confundimos sentido de posse com amor, e comove-nos que o coitado não possa viver sem nós. No fundo agrada-nos causar tanto desvario no coração de alguém.
 
Como sobreviver:
 
Hmmm. Se não entra no jogo dele, será complicado. “Tudo será usado contra si, o que não deixa muita margem para negociações.” Ou seja, se não há confiança, não há relação sã. O paranoico deve aceitar correr os riscos normais de qualquer relação, o problema é que um paranoico por definição não fará isto... Esqueça o diálogo construtivo: é como chover no molhado. Enfim, tente levar uma vida calma...

in "Activa"