20.8.13

Bad boys ou então não #1

Teatral


Como distingui-lo:
 
“Amar uma pessoa teatral é como ser arrastado por um furacão de grau 5”: tudo é intenso e exagerado.
O amor sossegado tipo ‘ai amorzinho vamos ali apanhar um bocadinho de sol em frente ao rio e beber um chazinho e comer uns scones’ para eles não é amor que se veja.
Se estão em frente ao rio, é para se atirarem lá para dentro, e o pior é que arrastam a outra pessoa com eles sem colete de salvação.
Vivem do olhar dos olhos: se não lhes ligam, sentem-se um caco. “Se são o centro das atenções, querem mais. Ou seja: o grau de atração mede-se pela atenção conseguida.” Problema: por muito que o outro se esforce, o teatral vive insatisfeito.
 
Porque nos deixamos enredar:

 Porque toda a gente gosta de atenção e o teatral é um sedutor nato.
 
Como sobreviver:
 
Pense que está a educar uma criança pequena.
O teatral tem de perceber que nem sempre pode ser o centro das atenções, que a outra pessoa precisa do seu espaço pessoal, que a solidão não é sinónimo de desamor, e que é possível julgar-se pelo que de facto é e não pelo que aparenta ser.
 
 
 
in "Activa"